Margarida Salomão comemora decisão da Justiça que mantém exposição sobre Democracia

Exposição conta a história da democracia no Brasil através de imagens e foi embargada em 21 de julho sob alegação de dano à Centro Cultural Democracia em Disputa. Esse é o tema de uma exposição organizada pelo Instituto Nacional de...
2021-08-19 10:33:45
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Exposição conta a história da democracia no Brasil através de imagens e foi embargada em 21 de julho sob alegação de dano à Centro Cultural

Democracia em Disputa. Esse é o tema de uma exposição organizada pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Democracia e Democratização da Comunicação (INCT Democracia) e que foi embargada pela justiça de Juiz de Fora (MG) no dia 21 de julho, sob alegação de que representava danos à preservação patrimonial do Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM).

Tanto a Prefeitura de Juiz de Fora, quanto o INCT Democracia recorreram da decisão e na manhã desta quinta-feira, 29, o desembargador Maurício Soares Torres deu razão à Prefeitura considerando que a referida exposição não constitui nenhum risco ao CCBM.

Nas palavras do desembargador, “a determinação de retirada das imagens implicará supressão total do direito à manifestação de pensamento e à liberdade de expressão, artística e cultura”.

A Exposição “Democracia em Disputa” conta a história da democracia no Brasil reunindo imagens que narram mais de meio século de episódios cruciais para a construção de nossas instituições políticas e teve início no dia 17 de julho. “Entre nossa primeira experiência democrática em 1945 e a crise atual, a democracia brasileira passa por momentos de avanços e também de retrocessos, retratados nas fotografias selecionadas por meio de curadoria técnica e artística”, destaca trecho da Nota divulgada pelo INCT Democracia.

A prefeita de Juiz de Fora, Margarida Salomão, comemorou a decisão da justiça. “A decisão apenas confirma o que afirmamos desde o início: a exposição é de caráter evidentemente democrático, de cunho artístico e não provoca dano ao patrimônio público. Nada justificaria a censura, ameaça que pairou sobre ela. Ao cabo, o caso apenas confirma a própria nomenclatura da exposição. E, para nossa alegria, nessa disputa a democracia sai como vitoriosa”.

Redação Elas por Elas, com informações do INCT Democracia e Prefeitura de Juiz de Fora